O Parque Nacional de São Joaquim, está localizado entre os dois municípios que disputam o título de mais frio do Brasil: Urubici e São Joaquim. Região na qual, os brasileiros que querem ver neve, em terras tupiniquins, viajam na esperança de ver os flocos de gelo caírem durante a madrugada.

O Parque foi criado para a proteção da maravilhosa Mata de Araucárias, que está presente em toda a região junto com a Mata Atlântica. Abrange uma área de 48.000 hectares, onde você pode encontrar cachoeiras, mirantes, duas das estradas mais bonitas do país e a obra de arte da natureza “Pedra Furada”.

Parque Nacional São Joaquim - Morro da Igreja

Índice

  • Como chegar ao Parque Nacional de São Joaquim
  • Quando ir para o Parque Nacional de São Joaquim
  • Atrativos do Parque Nacional de São Joaquim
  • Onde ficar

Como chegar ao Parque Nacional de São Joaquim

Como mencionei, o Parque está localizado entre as cidades de Urubici e São Joaquim, na Serra do Mar Catarinense a aproximadamente 170 km de Florianópolis. 

Para quem vem de longe, a melhor opção é voar até Floripa e partir para o Parque. Eu recomendo alugar um carro na capital catarinense. Pois, muitos dos atrativos do Parque, são uns distantes dos outros. Estando de carro, você não precisa se preocupar com a mobilidade. 

Fora que, 2 das estradas mais bonitas do país estão localizadas nas redondezas do Parque. Você não vai querer perder estes passeios, né?

Quando ir para o Parque Nacional de São Joaquim

A região é famosa por ser a mais fria do Brasil e ter as maiores chances de nevar. Então, a época mais legal para visitar o Parque é durante o inverno (e cruzar os dedos para a neve cair do céu).

De bandeja, o inverno é o período com menor incidência de chuvas. Como quase todos os passeios da região são o ar livre, não tem porquê fazer sua visita durante o verão.

Mas, se prepare. Agasalhe-se bem, pois as temperaturas da região entre os meses de maio e julho, são bem baixas. Acredite ou não, elas já chegaram aos incríveis -10°. Sim, isso mesmo, -10° no nosso Brasil.

Atrativos do Parque Nacional de São Joaquim

Vou dar uma dica para você tentar adivinhar os atrativos. Ele está localizado na Serra do Mar Catarinense a apenas 250 km dos Parques Nacionais Aparados da Serra e Serra Geral. Se você chutou cânions e montanhas, acertou!

Os principais pontos turísticos do Parque, são as cachoeiras e os mirantes, que têm uma vista maravilhosa dos cânions e toda a área abaixo da Serra do Mar. Alguns deles estão ao lado da estrada e para chegar em outros, é necessário fazer uma trilha. 

Além dos passeios na natureza, a região é repleta de vinícolas charmosas com vinhos deliciosos. Dos quais, o Vinho Rosé da Vinícola Villa Francioni é um dos mais famosos. Este caiu no gosto da Madonna (sim, a cantora), que durante sua viagem ao Brasil, encomendou várias caixas.

Em alguns dos passeios é obrigatória a contratação do guia ou fazer reserva.Vou deixar indicado no título quais são eles. Aqui, você pode encontrar uma lista dos guias. Se o link não funcionar confira a página oficial do Icmbio.

Eu queria deixar mais informações para vocês aqui. Mas, o site oficial do Parque está incompleto, devido à pandemia do coronavírus. Então, se precisarem de mais informações entrem em contato pelo email [email protected]

Morro da Igreja – Autorização

Se você pesquisou alguma foto do Parque antes de conferir este post, com certeza você viu este mirante. Ele é o cartão postal do Parque, com uma vista maravilhosa para a Pedra Furada e toda a região abaixo da Serra.

Ele fica a 30 km do centro de Urubici e seu acesso pode ser feito por carro. Chegue cedo, pois o número de visitantes é limitado.

Parque Nacional São Joaquim - Morro da Igreja

Pedra Furada – Contratação de guia obrigatória

Junto com o Morro da Igreja, a Pedra Furada é o outro cartão postal do Parque. Se a vista do Morro da Igreja não foi suficiente para você ver tudo que queria (acredito que não tenha sido), é possível fazer uma trilha para chegar mais perto da Pedra. 

A trilha dura o dia todo e tem extensão de 8 km (5h a 6h de caminhada). Partindo da parte baixa do Parque, você vai em direção à Pedra caminhando por entre os grandes paredões da Serra, até chegar ao grande buraco com 30 metros de circunferência. 

A trilha tem lotação máxima de 30 pessoas e é obrigatória a contratação de guia (cada um pode levar 10 visitantes).

Trilha da nascente do Rio Pelotas – Reserva

Esta é outra trilha que vai te levar ao interior das montanhas. São 9 km de trilha com duração de 5h a 6h de caminhada, com vista para o paredão que dá nome ao Morro da Igreja e Pedra Furada, terminando na nascente do Rio Pelotas.

A trilha é autoguiada. Porém, é necessário fazer reserva e assinar o termo de riscos na sede do Parque em Urubici.

Serra do Corvo Branco e Serra do Rio do Rastro

Como mencionei, nas proximidades do Parque estão localizadas 2 das estradas mais bonitas do Brasil.

Na primeira, você irá passar de carro entre paredões de 90 m (o maior corte vertical feito em rocha do Brasil).

Na segunda, você irá subir a Serra do Mar Catarinense com direito a paradas nos vários mirantes espalhados entre as curvas de 180° e subidas íngremes da Serra do Rio do Rastro.

Parque Nacional São Joaquim - Serra do Rio Do Rastro

Vinícolas

A região é cheia de passeios na natureza. Mas, se você quer dar uma escapada e fazer algo diferente, aproveite para  visitar as fazendas das vinícolas com um tour guiado e fazer uma degustação de vinhos.

Eu recomendo você visitar: Villa Francioni, Monte Agudo, Pericó, Quinta da Neve e Villaggio Bassetti. Com destaque para a primeira.

Onde ficar

As 2 principais cidades de apoio para quem vai visitar o Parque Nacional de São Joaquim são: Bom Jardim da Serra e Urubici. As duas são clássicas cidades do interior brasileiro, com a praça, igreja e avenida. Bem pequenas e calmas, sem muita agitação. 

Você pode conferir as estadias no booking.com.

Artigo anteriorCachoeira do Meu Deus
Próximo artigoGuilin
Meu nome é Felipe Pessina, eu tenho 22 anos e sou estudante de computação na Unicamp. Eu cresci no interior de São Paulo em Lençóis Paulista. Mas, como para todo viajante, a cidade era muito pequena para mim. Então criei o Roteiros Práticos, para compartilhar minhas experiências, aprendizados e roteiros ajudando vocês a viajarem mais e melhor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui