Introdução

Esta, foi a minha primeira viagem na China. E o destino que escolhi não poderia ser diferente dos que escolho no Brasil, foi um lugar isolado dos grandes centros, com uma natureza exuberante e uma beleza única. O nome dele é QingHaiHu (青海湖), um lago sagrado para os budistas tibetanos, e por isto nós não podemos nadar nele. Não que ao chegar lá você fosse querer, pois ele se localiza no platô do Tibete, em uma altitude superior a 3.000 m de altitude, um pouquinho frio.

Eu fiz a minha viagem para lá, no mês de outubro, durante o feriado nacional chinês, que tem 7 dias, mas a minha universidade nos deu 10 dias. Estes 3 dias a mais fizeram toda a diferença, pois o lago fica bem longe da cidade de Beijing, onde eu estava hospedado. Foram 22h de trem para chegar na cidade de Xining (西宁) capital da província de QingHai, que se localiza a 150 km do lago e possui transporte direto para ele.

A Viagem

O Trem

O meu primeiro dia de viagem foi tomar o trem, levando meu mochilão de 70 l com os meus patins, equipamentos para acampar e muita roupa de frio. A temperatura nesta região em outubro chega a 0° C graus, com ventos fortes e úmidos, então se você planeja acampar lá, como eu, leve equipamentos para o frio e se prepare, pois sua barraca vai ficar húmida por dentro. Na minha primeira noite, acordei às 5h da manhã com um super frio, pois meu sleeping bag molhou, mesmo estando em cima do isolante. 

um com mochila grande

As 22h de trem, passaram rápido, pois os chineses adoram conversar com estrangeiros, e nesta viagem não foi diferente. Das 5 pessoas que estavam na cabine comigo, 2 eram estudantes e falavam um inglês básico. Ao me verem perdido com os procedimentos no trem, eles me ajudaram e ficamos amigos. Uma ótima oportunidade para eles praticarem o inglês, e eu mandarim. Aproveitei a conversa e já logo fiz várias perguntas sobre nosso destino. E me disseram 2 coisas muito importantes . A primeira que eu tinha que experimentar o SuanNai (酸奶), ele é parecido com o iogurte brasileiro, mas é mais azedo e doce. Muito gostoso, ainda mais para mim que adoro leite. É muito fácil encontrar, os mercados e restaurantes o colocam em bancadas na frente do estabelecimento à vista de quem passa na rua.  A segunda, foi que eu provavelmente não tomaria banho nos dias em que estivesse no lago, pois as casas não têm bombas para trazer água. Nos arredores do lago os moradores locais não têm muito dinheiro e buscam a água a pé, portanto este é um recurso escasso. Dito e feito, foram 4 dias sem tomar banho, pelo menos a região é fria e eu não suei muito.

interior do trem

Xining (西宁)

Após as 22h de viagem cheguei em Xining, e fui logo encontrar a moça do hostel com quem havia combinado. Por incrível que pareça, ela não me passou o endereço do hostel, mas sim de uma escola infantil, onde disse que nos encontraríamos. Como a China é uma país extremamente seguro, eu não suspeitei de um golpe. Ao encontrá-la, tive a infeliz surpresa de saber que o hostel havia perdido a licença para receber estrangeiros e devido o feriado nacional, a polícia estava fiscalizando mais, logo não poderia me hospedar no hostel dela. Sim, na China estrangeiros não podem dormir em qualquer hotel/hostel, acredito que eles fazem isto para que nós nos hospedemos apenas em locais de alta qualidade, para ter uma boa impressão da China. Mas, isto não foi um problema, ela prontamente me indicou outro hostel, e me levou de táxi para lá. O preço era extremamente barato para padrões brasileiros, apenas 14 reais por noite em um quarto com 8 pessoas. 

estação de trem xining

A cidade de Xining, é um ponto de parada para quem quer se aventurar pelo oeste da China, muitos dos viajantes que conheci estavam contratando motoristas para levá-los em uma viagem de 7 dias pelo deserto de Gobi, nas províncias de XinJiang (新疆) e o norte de QingHai. Mas, eu não gosto muito do jeito chinês de viajar, que consiste em ir de ponto em ponto turístico, fazer uma parada rápida, tirar algumas fotos bem fotogênicas e partir para o próximo ponto turístico. Então, decidi partir sozinho para o lago.

Mas antes, eu passei 2 dias explorando XiNing, fazendo longas caminhadas pelas margens do rio HuangShui, observando as montanhas ao norte da cidade e visitando pontos turísticos como a Mesquita DongGuan. 

mesquita dongguan

QingHaiHu (青海湖) – O lago

Como o lago se localiza em uma região isolada e subdesenvolvida, encontrar informações em sites estrangeiros não era uma tarefa fácil, então o melhor jeito foi pedir informações para as pessoas locais, e os chineses estão sempre dispostos a ajudar, não precisa ter medo de perguntar. Se não fosse pela ajuda, eu não saberia nem como pegar o ônibus para o lago e que a região em volta do lago são propriedades de fazendeiros, e para acampar eu teria que encontrar um que estivesse disposto a me receber.

Dia 1

Chegando ao lago, ao descer do ônibus, a minha principal preocupação foi solucionada no primeiro momento. Um fazendeiro veio falar comigo. Se você não fala um mandarim básico, se prepare para usar o tradutor, pois ninguém lá fala inglês. Quando lhe contei que pretendia acampar, ele logo disse que poderia dormir em sua propriedade que se localizava às margens do lago, não poderia ter dado mais sorte. Perguntei quanto ficaria com o almoço e jantar e ele me disse 50 reais, aproveitei e disse que se ele me levasse ao deserto nas margens do lago, eu fecharia a proposta com ele ali. E assim feito, já tinha um lugar para dormir e iria visitar um dos cenários que mais queria ver naquela região. 

Este momento passou voando e nem mesmo eu entendi, pois ao chegar a um local, a primeira coisa que fazemos é apreciar a vista e andar um pouco para saber onde estamos. Mas nem tive tempo para isto, o fazendeiro foi muito rápido. Então coloquei as malas no carro e seguimos para a sua propriedade. E somente ali às margens do lago, eu parei, olhei para os 4 pontos cardeais, e falei “Meu Deus”, aquilo não parecia um lago, mas sim o mar. Olhando para o norte eu via um infinito azul, impossível de ver a outra margem, olhando para o leste eu via uma nuvem de areia passando por cima das dunas devido ao vento forte que vinha do lago, olhando para o sul eu via uma montanha de mais de 4.000 m com gelo em seus picos, e olhando para o oeste eu via um pequeno vilarejo chinês. E decidi que seria ali, no meio destas maravilhas que iria acampar, sem nem imaginar o frio que passaria naquela noite.

Mas antes de montar acampamento, eu fui matar a fome e para ter certeza que não iria errar na comida e fazer cara feia, eu pedi noodles, um prato bem tradicional na China. É um macarrão em uma sopa bem quente, com alguns vegetais e carne que você pode escolher. Uma comida muito boa para se comer em regiões frias. Após o almoço, pegamos o carro e fomos para as dunas, e pude ver um pouco dos arredores do lago, e literalmente, tudo ao redor do lago são pequenas propriedades de fazendeiros, elas vão desde as margens do lago até as montanhas. Eles produzem, principalmente, ovelhas, cabras e flores amarelas que quando florescem formam um cenário lindo ao redor do lago, ideal para tirar fotos.

Chegando nas dunas, como disse anteriormente, também era propriedade privada e tive que pagar uma taxa para entrar. Não era caro, mas eu esperava que fosse de graça. Os chineses entram alguns poucos metros na areia, para tirar as fotos e sair. Então, se você tiver um pouco de disposição, caminhe por 20 minutos e você terá a natureza somente para você, sem barulho da civilização e um horizonte de areia, montanhas e água. Quando eu entrei, meu plano era atravessar o deserto e chegar nas margens do lago, mas a chinesa na entrada me disse que eu precisaria de cerca de 1h30 para ir e mais 1h30 para voltar, fiquei um pouco frustrado no primeiro momento, pois eu não tinha todo esse tempo. Mas depois de andar uns 30 minutos, eu logo me conformei, pois andar em dunas subindo e descendo, seu pé afundando na areia a cada passo e sua roupa enchendo de areia (não esqueçam que eu estava com roupa de frio para 0 ° C), não era nada agradável e fácil, então logo que me vi sozinho na natureza eu parei, sentei e olhei para tudo aquilo. Não há foto que descreva.

dunas, lago e montanhas em qinghai

1h depois, eu decidi sair e voltar para o carro. Chegando na fazenda, já eram 18h, hora de montar o acampamento. Escolhi uma área com grama baixa ao lado do lago, entre o pasto e as águas. O que não imaginei era que os cavalos, iria ficar relinchando ao lado da minha barraca durante a noite … bom, como vocês perceberam minha noite foi fria e barulhenta, extremamente agradável. 

Dia 2

Acordei no dia seguinte, às 5h da manhã com meu saco de dormir molhado e frio. Coloquei outras roupas para diminuir o frio e fiquei deitado esperando os primeiros raios de sol. Quando vi os primeiros sinais de luz decidi sair da barraca e o que vi foi um sol nascer entre as dunas. Isto já fez valer a pena ter passado todos os perrengues daquela noite.

Acampando ao lado de QingHai

Então era hora de desmontar o acampamento e tomar um café da manhã tradicional, com direito a muito amendoim, MianBao(面包 – Pão Chinês), Zhou (粥 – Sopa de Arroz) e Tofu. Alimentado,  com estoques de água abastecidos era hora de começar a jornada e ver um pouco do que tinha ao redor do lago. Calcei os patins, coloquei a mochila nas costas e parti. 

Este percurso de contornar o lago é extremamente comum e em geral as pessoas fazem de carro, ônibus ou até mesmo bicicleta, pois em volta do lago tem uma ciclovia asfaltada. Em torno do lago, você pode se abrigar nas fazendas ou nos pequenos vilarejos, pequenos mesmo, que você encontra de mais ou menos de 5 em 5 km. Neles você encontra restaurantes, hotéis e mercadinhos, outras coisas como banco e farmácia, esqueça.

Mas, também tem alguns doidos como eu e outro chinês que vi, que decidem fazer a volta de patins, com um mochilão nas costas e assim fui. O legal de fazer o trajeto de patins ou bicicleta é ir devagar, aproveitando a vista, encontrando outras pessoas e ter a liberdade de parar onde quiser e sentar. Várias vezes eu parei o patins e sentei no gramado só para apreciar a vista.

plantação de flores qinghai

Em uma dessas paradas para ir ao banheiro, uma senhora quis me vender frutas e carnes preparados localmente. Como já estava na hora do almoço, decidi dar atenção para ela.

Se você quer visitar a China, aqui tem duas informações muito importantes.

  1. Banheiros públicos são extremamente comuns na China, não precisa fazer igual ao Brasil e entrar na cara de pau em um restaurante.
  2. Na China, se você der atenção para um vendedor, se prepare, ele vai tentar te vender até o ar que você respira, por um preço 10x mais caro do que ele custa. Então, sempre negocie e não demonstre muito interesse pelos produtos.

Eu comprei algumas frutas e almocei por ali mesmo. Ainda cai na lábia dela e comprei até demais, que sobrou para eu levar para um lanche posterior, amarrei a sacolinha na mochila e segui patinando. Mal sabia o que me esperava pela frente.

A ciclovia está em bom estado de conservação, mas isto se você for fazer o trajeto de bicicleta. Pois, ela é cheia de buraquinhos e pedrinhas no chão, quem já andou de patins sabe como isso atrapalha. Às vezes, as pedrinhas entravam entre as rodas do patins e ele freava bruscamente, eu estava me acostumando com isso e indo devagar. Mas chegou uma ladeira e o patins ganhou velocidade e com o peso da mochila não consegui diminuir. Então uma pedrinha entrou no meio das rodas e cai no chão de joelhos, rasguei minhas 2 calças (a de neve e segunda pele) e machuquei minha mão e joelho. 

Aqueles machucados começaram a sangrar muito e arder, eu precisava lavar e fazer um curativo. Por sorte, eu caí ao lado de um restaurante. Então, fui logo pedir comida e água para lavar os meus machucados, a moça que me atendeu foi super gentil e me trouxe tudo o que precisava. O machucado não era nada sério, mas me impossibilitou de seguir em frente. E neste momento, fiquei perdido, estava sozinho, sem planos, sem lugar para dormir e não tinha tempo para voltar a pé para o lugar de onde havia saído antes de escurecer.

Então perguntei a ela se alguém poderia me levar de volta, pois o lugar de onde parti era o maior vilarejo do lago. Ali com certeza acharia uma farmácia e um lugar pra dormir, caso não fosse acampar. Ela me disse para procurar um motorista e fechar um preço de 10 reais antes da viagem, mas infelizmente eu era estrangeiro e eles queriam me passar a perna, cobrando 100 reais. Tentei negociar, mas sem sucesso. Então, recusei a proposta e parti para o Plano B, pedir carona. Mas na China, dar carona não é muito comum, mas mesmo assim decidi tentar. Parei ao lado da estrada e levantei o dedo, fiquei ali uns 30 minutos ao lado da rodovia movimentada e nada dos motoristas pararem. Até que um ônibus de turistas parou e abriu a porta, eu falei para onde eu ia e eles disseram “sobe”. Ao final isso me custou 8 reais. 

Entrando na farmácia, nem tentei explicar a situação. Já logo mostrei meus machucados e a pessoa que me atendeu e também dono da farmácia, me mostrou tudo que precisava. Quando fui pagar, eu falei um pouco de chinês e ele logo se interessou. O que era para ser uma compra rápida, se tornou uma longa conversa de 1h e vocês não imaginam qual o tema, Brasil. Sim, ele adorava futebol e sabia muitas coisas sobre o nosso país e como todo brasileiro, sempre gostamos quando os estrangeiros sabem que o Brasil não é só Rio de Janeiro, futebol e Amazônia.

Ao sair da farmácia, eu tinha que encontrar um lugar para dormir. E ali seria difícil achar um lugar barato com permissão para estrangeiros. Então, fui logo no Airbnb, pois para se hospedar em casa de pessoas essa regra não existe. Encontrei um camping próximo de onde estava, mas custando  mais de 100 reais a diária, então decidi mandar mensagem para a proprietária, e negociar. 

Foi então que conheci XingXing, uma menina de 27 anos, que trabalhava em Beijing e passava os feriados em QingHai fugindo da civilização. Logo que nos encontramos, ela começou a fazer várias perguntas e foi como se nos conhecêssemos há muito tempo. Ela já logo me apresentou as amigas, falou que podia fazer por 30 reais a diária e teria um quarto com cama e aquecedor, este era o paraíso para mim. Eu não sabia como agradecer e nem que agora eu iria viver em QingHai como um local. 

Foto com amigas em qinghai

Outros

Passei os 3 dias seguintes com eles, não fui visitar muitos pontos turísticos, na verdade mais nenhum. Ficamos o dia todo sentados às margens do lago com os amigos dela, que trabalhavam ali vendendo roupas tradicionais tibetanas, passeios a cavalo e fotos com seus búfalos para os turistas chineses que vinham aproveitar o feriado nacional. 

Nestes três dias experimentei muitos pratos da culinária local, dentre elas, a mais curiosa era o café da manhã, nós pegávamos uma pequena tigela, colocávamos açúcar, manteiga, cereais e NaiCha (奶茶 – Chá de leite) e misturávamos com o dedo mindinho até formar uma massa, que então a gente comia pura. Comi também o famoso HuoGuo (火锅), KaoRou (烤肉 – Churrasco) feito com carne de cabra produzido na própria fazenda e bebi muito NaiCha. 

café da manha tibetano

Tive também a oportunidade de cuidar de um dos búfalos e chamar os turistas para tirar foto, quando nossa amiga foi comprar comida, ela pediu para eu cuidar do animal. Neste período, muitos turistas vinham falar comigo, pois devem ter achado curioso um estrangeiro, ali no meio dos locais e por fim acabei lucrando 10 reais. 

O Retorno

Passados os três dias, tomei um ônibus para XiNing e enfim poderia tomar um banho quente e gostoso para tirar o suor dos últimos dias. Pois no dia seguinte eu iria voltar para Beijing de trem, no último dia do feriado.

Eu em 2019 realizei um intercâmbio de 7 meses na China, em uma universidade de Beijing. Se você quiser saber mais sobre QingHai ou China, pode me mandar mensagem que eu irei te ajudar ao máximo. Comentem o que vocês acharam deste lago desconhecido pelos estrangeiros, e falem quais outros lugares vocês querem conhecer na China que eu posso fazer um post sobre eles.

2 COMENTÁRIOS

  1. eu gostei da sua aventura,os asiáticos são muito curiosos,que tirar fotos apresentar para os amigos eles fala que é seu amigo e muito bom na Tailândia nas filipinas ,Laos ,Camboja, você é bem visto.o pessoal fica muitos curioso em ti conhecer fazer várias perguntas gosta de explorar os visitante acha que samos ricos….

    • Boa Tarde Valdecy, que legal que você gostou da minha aventura :).

      A China foi o primeiro país da Ásia que eu visite e tenho muita vontade de voltar para lá visitar os que você mencionou. E realmente, isto tudo que você falou é muito verdade. Eles são muito curiosos e amigáveis. Basta fazer uma pergunta, que logos eles fazem várias sobre você e seu pais. É muito gostoso isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui